Descarga poluente grave foi registada no Rio Tejo

A água do Rio Tejo apresentou no último dia 24 de janeiro, uma coloração castanha escura e espuma, junto ao açude de Abrantes. Segundo os ambientalistas, o foco de poluição teve origem em empresas, na área da celulose, tendo as mesmas, sido sujeitas a investigação, através de análises às amostras dos níveis de descargas poluentes, de cada uma delas, embora inicialmente, as suspeitas recaíssem sobre a ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais de Abrantes. No entanto, as análises mandadas efetuar pela APA – Agência Portuguesa do Ambiente revelaram concentrações de outras substâncias que não são originárias em ETAR`S urbanas e que têm valores muito superiores, aquilo que são valores normais. Daí, as atenções terem sido centradas em empresas daquela região do país, a fim de determinar a origem da fonte poluidora, ou seja, qual delas terá sido a responsável, por ter feito descargas, com níveis de poluição, superiores aos permitidos por lei e que causaram este problema ambiental nas águas do Tejo. A investigação sobre este caso ambiental, ainda está em curso, motivo pelo qual, as autoridades responsáveis, ainda não tenham divulgado qualquer conclusão.

A Ambipombal, sedeada na freguesia da Redinha, concelho de Pombal, foi a única empresa portuguesa na área do ambiente, que teve capacidade de resposta, em termos de meios humanos e técnicos, para intervir de emergência, numa situação de poluição grave, ocorrida no princípio deste ano 2018, no Rio Tejo, na zona de Abrantes, tendo confinado o foco da poluição aquela zona e retirando em tempo recorde, a muita espuma ali acumulada. Uma intervenção eficaz, elogiada por diversas entidades que direta ou indiretamente, estiveram ligadas a este caso, bastante mediatizado, na altura, pelos órgãos de comunicação social, e em particular, pelos vários canais televisivos portugueses, que do local, fizeram várias reportagens em direto. A Ambipombal sabendo, desde logo, que este caso ambiental, ocorrido num dos mais importantes rios do país, estava por isso, a ser alvo da atenção dos portugueses, “colocou todo o seu profissionalismo, como faz sempre, em todas as intervenções para as quais é solicitada, sejam de emergência, como foi este o caso, ou trabalhos de rotina, junto de diversas empresas portuguesas, resolveu com sucesso, mais uma situação, entre muitas outras, que nem sempre, são de fácil resolução”, refere uma nota de imprensa da Ambipompal, quando solicitada, pelos meios de comunicação social, a abordar a sua intervenção coroada com êxito, nesta ocorrência.

Foto: DR